João Paulo Coutinho

Estamos percebendo que o modelo de gestão tradicional, focado no comando e controle não responde mais ao contexto que estamos vivendo, onde as organizações precisam cada vez mais de adaptar, responder rapidamente as mudanças e viver em meio a tantas incertezas e possibilidades. Diversas são as empresas que estão optando por adotar a gestão ágil visando a perpetuidade do negócio. Modelos baseados em hierarquias, decisões top-downnão funcionarão com as novas gerações. São indivíduos que querem ser ouvidos, compartilhar suas ideias e ter suas capacidades reconhecidas. 

A gestão ágil nasceu no desenvolvimento de software e tem como premissa os 4 valores do Manifesto Ágil, escrito por um grupo de profissionais no ano de 2001. Os valores são os seguintes:

No início, os métodos ágeis tinham o foco específico voltado para a gestão de projetos na área de software, mas com os resultados alcançados, principalmente na mudança da cultura organizacional, esses valores passaram a ser utilizados para alcançar o que chamamos de gestão ágil.

Ela é caracterizada por elementos como: a comunicação como um ponto chave, motivação dos indivíduos, priorização das pessoas e suas interações e entrega de valor constante ao cliente. 

Gestores devem se apropriar dessas características e aplica-las com seus times. Liderança é uma responsabilidade de todos os indivíduos que fazem parte de uma organização e não somente do gestor formal, mesmo que seja essa a forma de se estruturar a organização. Mas como aplicar no dia a dia esse modelo de gestão?

Martin van Tilburg, especialista em gestão e fundador da 10,000ft traz 3 pontos fundamentais: aloque pessoas de forma dinâmica e com base nas necessidades de cada projeto, seja transparente para que os times possam se auto organizar, e contribua com a evolução das habilidades e competências das pessoas. 

1. Aloque as pessoas de forma dinâmica e com base nas necessidades dos projetos

Ao formar um time para um projeto, Martin diz que 3 aspectos precisam ser otimizados: eficiência, qualidade e desenvolvimento de habilidades.

• Eficiência refere-se a quantas pessoas irão compor a equipe e quanto tempo elas podem trabalhar para continuar gerando valor e lucrando.

• Qualidade diz respeito à adequação das habilidades, competências e experiências atuais das pessoas ao resultado desejado.

• O desenvolvimento de habilidades trata da correspondência entre as necessidades dos membros da equipe e seu desejo de crescimento com habilidades que podem ser obtidas em um novo projeto.

É preciso considerar o desenvolvimento de habilidades no planejamento das atividades. Com isso você não apenas garante que sua força de trabalho permaneça competitiva, como também fortalece a lealdade dos colaboradores, melhora o desempenho e reduz a rotatividade.

Na gestão tradicional, o conhecimento necessário geralmente está apenas na cabeça do gerente. Tornar esse conhecimento institucional requer um sistema que mapeie as habilidades dos membros do time, rastreie seu crescimento ao longo do tempo e reavalie periodicamente a equipe no contexto do estado atual dos projetos. 

2. Seja transparente para que os times possam se auto organizar

Em ambientes de trabalho ágeis, os times têm liberdade e autonomia para definir como vão funcionar. Para ter sucesso, é preciso clareza do que é o sucesso do projeto. E sabendo qual é o resultado esperado, os integrantes traçam objetivos e entregas mensuráveis. É preciso construir confiança entre os membros, para que o feedback seja exercitado, uma mentalidade empreendedora desenvolvida, e pessoas realocadas quando necessário. Enquanto líder, ajude a equipe a cria um sistema transparente que mostre o andamento dos projetos, sua qualidade e resultados. Lembre-se delegar e dar autonomia é diferente de delargar. O líder tem um papel fundamental de inspirar os colaboradores, dar o norte e em momentos necessários, estar presente. 

3. Desenvolva as habilidades dos colaboradores para tornar a equipe cada vez mais com o mindset ágil 

Em uma estrutura organizacional tradicional, você provavelmente trabalha com pessoas com competências e habilidades muito parecidas com a sua. Quando as equipes são formadas dinamicamente, elas reúnem a melhor combinação de disciplinas necessárias para o resultado final.

As pessoas precisam desenvolver uma base de conhecimento mais amplo para colaborar bem nessa estrutura. Alguém pode ser da área jurídica, mas, como trabalhará com colegas de uma equipe multidisciplinar, também precisará conhecer os conceitos básicos de marketing, pesquisa de usuários e gerenciamento de projetos. Crie momentos de compartilhamento de conhecimento. Desenvolva temas como comunicação, colaboração, tolerância ao erro, tomada de decisão e resolução de conflitos. 

Quando falamos sobre gestão ágil, estamos falando sobre uma nova forma de pensar e agir. O líder precisa entender qual é o seu novo papel dentro das organizações. As decisões não podem mais ficar na mão de poucas pessoas. Mudar a forma de pensar é fundamental para a continuidade dos negócios.