JP Coutinho

Instagram @talksdojp

RH Ágil: o que é?

O RH precisa urgentemente entender o que é o Ágil e como ele pode orientar a transformação organizacional que se faz cada vez mais necessária.

Em conversas com profissionais de RH, de diversos segmentos do mercado, percebo que muitas equipes enfrentam os mesmos problemas e compartilham do anseio de modernizar, entregar mais valor ao negócio e digitalizar seus processos, muitas vezes extremamente dependentes do trabalho manual. E para que isso possa acontecer, um fato é certo: o RH precisa urgentemente entender o que é o Ágil e como ele pode orientar a transformação organizacional que se faz cada vez mais necessária. Profissionais de Gestão de Pessoas precisam entender não só como levar esse mindset para a empresa, mas também como aplica-lo nas suas próprias formas de trabalhar. 

Mas quando falamos de RH Ágil, não estamos falando de uma receita. Seria tudo bem mais fácil né? A gente segue um passo a passo e pronto. Tudo transformado. E ágil não é prescritivo, é situacional. Corre dos 10 passos e das 7 dicas. O mundo muda, o contexto muda, o cenário muda e a nossa forma de atuar e responder as essas mudanças também precisa mudar. Antes de qualquer receita, framework ou ferramenta, Ágil é MINDSET

Faz muito tempo que as estratégias de RH são construídas com tópicos complexos, pesados. Dificilmente 100% executáveis. O que vemos diariamente é uma área de pessoas que não consegue apoiar a transformação das empresas, que cuida (em partes) das pessoas (vamos falar a verdade: fazemos o que já é conhecido e mais confortável para nós) e ajuda os líderes na caça aos culpados. Não a toa, é visto como xerife. “Xi, lá vem o RH…” Chegou a hora de mudar esse jogo. Se não mudarmos, vamos continuar perdendo relevância. Ou muda, ou morre. 

E para fazer diferente, muitas são as organizações que estão adotando o modelo ágil de trabalho. Especificamente em RH, o Ágil ajuda a quebrar os grandes tópicos complexos em fatias, que entregam valor e estão conectadas com as necessidades das pessoas. Falamos de priorização baseada em valor, alinhamento e autonomia, tomada de decisão ancoradas em dados e comunicação honesta, clara e empática. 

Quando falamos de RH Ágil, falamos de Agile para RH e RH para Agile. Como podemos transformar, construir e entregar nossos produtos de gente conectados com a mentalidade ágil? Não dá para “fazer RH tradicional” em uma empresa que está vivendo e respirando essa nova formar de pensar. E confesso, estamos todos aprendendo como fazer isso. Não, não existe em nenhum lugar no mundo uma empresa case, como me perguntam nos workshops. Todos juntos, seguindo a mesma jornada. Pensando, criando, testando, errando, corrigindo, acertando e principalmente aprendendo. Vale ressaltar aqui: “RH Ágil não é só a entrega, mas a jornada que nós percorremos.”

Podemos começar olhando para a Experiência do Colaborador. Como ela é hoje na sua empresa? Como o colaborador percebe essa experiência? Você sabe? É preciso criar um caminho que encanta e ajuda o colaborador a crescer e ter sucesso no seu trabalho. Nessa jornada, projetar práticas centradas no ser humano e que sejam revisitadas constantemente, revitalizadas, desconstruídas ou eliminadas por meio do feedback direto dos usuários. Tudo muito diferente dos processos e projetos que construímos com base nas melhores práticas ou nos manuais de administração. Já percebeu que construímos produtos e processos de RH que nunca morrem? É preciso pensar e acompanhar o ciclo de vida de cada um.

Trabalhar de forma incremental, ou seja, ir agregando valor através de pequenas mudanças, que são testadas, validadas e melhoradas. Mas você só vai descobrir de fato o que é valor quando colocar o usuário no centro. Fazer para o colaborador e com o colaborador. Se adaptar as mudanças de contexto e de cenário. Uma mudança total para o RH, que ama entregar completo, inteiro. E quando entrega, batata: não era o que o colaborador precisava, perdeu-se o time ou simplesmente, o mundo (leia aqui também necessidade) mudou. 

Pra fechar: esquece as ferramentas. Ágil não é post-it, Scrum, Kanban. Ágil é mentalidade. Então, RH Ágil é abandonar o tradicional, as melhores e boas práticas e entregar valor para as pessoas, com as pessoas. Mostrando a nossa vulnerabilidade e o poder do construir junto. Somente quando conseguirmos viver essa forma de pensar, entendendo a fundo as necessidades de seus clientes. Vamos assumir que não sabemos tudo e que precisamos dos outros (áreas, líderes, parceiros). 

Quer receita? Conheça o Manifesto Ágil do RH. Capacite a sua equipe para que eles conheçam e desenvolvam as competências que estão conectadas com o Mindset Ágil. Fale sobre Entrega de Valor e porque queremos fazer essa mudança. Eles serão capazes de fazer diferente. Os resultados vão surgir, fazendo pouquinho, dando pequenos passos. Pode acreditar! 

Gostou? Compartilhe!

SOBRE A AUTORIA

Picture of JP Coutinho

JP Coutinho

Siga-nos

Textos Recentes